Seguidores

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

nos versos abandonados...



dispo as palavras
e deixo-as solitárias
sem memória,
assim nenhuma me interroga
e nas minhas lágrimas há sempre
uma que se afoga
deixo-as sós ante o vazio, ignoradas,
entre pensamentos azedos
fechadas, numa ânsia rendida
de medos, sussurrando na solidão
sem que possam encontrar outra paixão

que não procurem piedade!
nem decifrem o tempo de morrer
acalmem antes a saudade
da minha alma...
deixem-me o caminho percorrer.

nos versos abandonados
haverá rasto de meus passos
que é todo o consolo que me resta,
e palavras nuas lançadas no lodo
para encerrar esta vida
que não presta...

que não foi a escolhida.

natalia nuno






1 comentário:

PÈTALA disse...


Olá Natália.

O encanto da poesia está em todos os versos! E estes, não estão nem nunca estarão abandonados! Desde que passaram á tela deixaram de ser tua pertença, e sim de nossa pertença! Por mais tristes que possam parecer as palavras, elas ganham nova força e energia aos olhos de quem as lê! Como eu!

Nunca deixes de passar á tela tudo o que vai na alma! Essa será sempre a força da poesia! A tua força!

Espero que esteja tudo a correr pelo melhor!

Beijos