Seguidores

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

poção...



súbitamente tantas ideias
vindas não sei de onde
parecem teias
e eu arrebatada pela emoção
deixo falar o coração
de onde vim, para onde vou
o que fui, o que sou
o meu melhor, o meu pior
o desvendar dos meus segredos
os meus medos
tudo deixo nestas folhas sem fim
que são para mim
uma poção, ou um aroma
que me sustenta
labareda que me incendeia
o fogo que me alenta, me ateia.

quanto mais escrevo
mais descontente me sinto
nem sei se devo...
deixo-me de alma despida
deixo o sorriso murchar
podem dizer que minto
escrita é abrigo onde posso chorar

ideias desprendidas, às vezes sofridas
talvez, aparente loucura, sem cura
onde me deixo inconsciente
pois ser-se Poeta também é bravura.

natalia nuno
rosafogo






4 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

A tua poção é mágica e me deixa sempre ávido de ler mais e mais! Deixa fluir tudo que te vem á mente, porque tudo faz sentido e é importante.

Nunca te deixes levar pelo ceticismo ou descrença. A tua poesia é e será sempre bela! Nunca deixes de a expor na tela!

Deixa passar os arautos da desgraça e coisas afins. A vida é para ser vivida e cantada até o fim!

E sem medos! A minha energia e força das palavras estarão sempre contigo!

Beijos

João

crazy40blog disse...

Bravura, sem dúvida, Natalia.
Afinal, ela é necessário para escurecer a página...
Triste mas muito belo!

Natalia Nuno disse...

Obrigada João pela força, mais uma vez, é bom contar contigo, com as tuas palavras raro não adivinhas o quanto preciso delas...

Neste momento estou cansada e parei por uns dias, vou voltando devagar, de facto a vida não é mesmo um mar de rosas, mas temos que ir enfrentando... no entanto o cansaço aparece e...
Beijinho

Natalia Nuno disse...


Olá Dulce, obrigada pela visita quero dizer-te que gosto muito do que tenho lido no teu blog, através do google +,
sempre que me f<õr possível lá irei com todo o gosto, já que a poesia é tudo que me dá prazer.

Beijo