Seguidores

domingo, 2 de novembro de 2014

em fogo assim vive...o coração



arde-me uma dor no peito que deita 
chama, que inflama, sangra e definha
fantasma que estrebucha está à espreita
que retira a esperança q' do amor vinha

mas de tão pouco serve o sofrer assim
em lágrimas se debulha... o olhar meu!
nas horas inquietas que passam por mim
vive a saudade daquele amor q'era só teu

doença maior, só esta eterna saudade
magia nesta m' longa e solitária travessia
onde o recordar-te é bem que me acaricia

nossos sonhos ficarão para a eternidade
e esta dor no peito... irei senti-la ainda?!
palavras se esgotam, mas a dor não finda.

natalia nuno
rosafogo








4 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália.

Mais um poema marcante
Cantado de alma delirante
Trespassado de intensa dor
Daquilo que resta, de amor!

Mesmo na dor das palavras não deixa de sobressair o fabuloso talento da poetisa Natália!
Que este talento perdure no presente, no futuro, e para além dele!

Tudo bem contigo? Espero que sim.

Beijos

joao

Natalia Nuno disse...

Olá João
Tinha sentido a tua falta, e já estive para ir ao Beija Flor para te deixar uma mensagem, mas tenho andado um pouco parada, um pouco saturada do face, e de outros por onde tenho andado, acho que me vou dedicar aqui aos meus e pronto.
Olha uma novidade boa o livro em romeno e português é apresentado este mês. e chama-se «Margini de dor» ou seja moldura da saudade...

Então e tu que tens feito? Nunca mais li nada teu, tenho mesmo que voltar ao teu blog.Sabes criei uma página no google mais e perco um pouquinho do meu tempo, talvez por ser novidade por agora, mais uns tempos e pronto.

João obrigada pela visita, desejo também que estejas muito bem...beijinho

PÈTALA disse...

Olá Natália

É verdade que tenho andado ausente, o tempo é sempre escaço! Também é verdade que desde que me (puxas-te) para o luso isso ainda me leva mais tempo. Entrei só para ver como era, mas fui ficando. As coisas por lá andam a flutuar em águas muito turvas. Se não fosse algumas pessoas que fui conhecendo já tinha deixado. Mas vou ter que o fazer, é tudo uma questão de tempo.

Nunca vás para além daquilo que as tuas forças permitem. Parar, nunca! Mas ficares só com aquilo que te dá mais prazer fazer, e estar!

Fico muito contente por ti em relação á publicação do livro! Vale sempre a pena lutar por aquilo em que se acredita!

Como disse a minha atividade tem sido no luso. E mesmo assim já me dá muito que fazer. Gasto muito tempo em comentários. Não gosto de passar deixando só um olá. Muitas vezes leio e releio para poder dizer algo a propósito!

Deixa o link dessa tua nova pagina no Google para eu lá passar.

O importante mesmo é estares ativa. Tens três coisas que nunca vais desistir delas que são: a família, escrita, e passeios! Estou e estarei contigo para ajudar nos momentos menos bons. Podes contar sempre comigo!

Tudo de bom para ti e os teus.

Beijos

João

Natalia Nuno disse...

Olá João
regressei duma semana pelo norte mesmo com muita chuva, vento e frio, por lá andei fui ver a Frecha da Mizarela, uma queda de água na serra de Freita perto de Aveiro e adorei, foi uma semana para descansar o espiríto, e caminhar um pouco ao ar livre, venho sempre mais leve e serena.
Quanto ao Luso fazes bem aquele site é mesmo viciante, eu também gostava, mas há por lá duas ou três pessoas horríveis, invejosas e eu não tenho já paciência, são autêntico terror, tudo lhes é consentido e os outros é que ainda ficam mal com as atitudes que tomam.
Grata pelo teu incentivo, ando um pouco parada, estou a ver se ganho algum alento.
Beijinho João tudo bom para ti.