Seguidores

domingo, 2 de outubro de 2011

A VIDA

lirios II











Tão formosa que é a vida
Dança-se como uma valsa
Vida de esperança vestida
Tantas vezes falsa!
Já o corpo morre
Fica o sonho no olhar
Já o pé não corre
Já o silêncio vem cercar.
Vida esquiva ao final
Como moeda falsa,
não serve para pagar.
Surge a incerteza!
No momento crucial
Dissipou-se a beleza
Agoniza-se é fatal.

O ar se vicia
A dor fica à sorte
Quem convencido estaria?
Que não lhe chegaria a morte?
Fica às escuras a mente
Na memória o vazio
E o tempo inclemente
Nos morde de frio.

Sinto a vida falsidade
Fez jura que não cumpriu
Jamais falou a verdade
Toda a vida me mentiu.

rosafogo
natalia nuno

imagem retirada do blog imagens para decoupage

1 comentário:

rosa-branca disse...

Lindo querida Rósinha como tudo o que tu escreves. Sabes que adoro lêr-te. És uma fonte inesgotável de bela poesia. A vida(ou as pessoas) nos pregam cada partida...beijos com carinho