Seguidores

terça-feira, 15 de novembro de 2016

um melro me canta...



fresca como uma manhã clara que desperta
tal como criança saída dum sonho
uma força imprevisível me atrai,
vai abrindo a minha claridade
e num ai,
deixa-me em liberdade
um melro me canta e
o vento fulgura
e eu feliz estreio o mundo como
se fosse todo ele ternura,
numa alada loucura
sobrevôo os riachos da tarde
e nesta liberdade ansiada
o meu olhar vive
e o meu sonho rodopia
nos intantes que não tive.

nem já as palavras me bastam
nem os numerosos passos andados
oculto-me nos buracos do silêncio
para que não me descubram
e nos meus horizontes irados
o meu coração vive de ansiedade
na presença do incerto,
morre de saudade... do sempre ao agora
na sede e no pranto que trago por perto,
solitária flor
de existência feliz diante do nada,
aos dias confiada...

natalia nuno








6 comentários:

Gracita disse...

Querida Natália, boa noite!
Mergulhar nesse maravilho lirismo é oferecer ao coração um bálsamo refrescante com este teu poema tão belo e tão tocante
Beijos minha amiga

Jaime Portela disse...

Ser feliz diante do nada é a felicidade perfeita...
Um poema excelente, gostei imenso.
Tem um bom fim de semana, querida amiga Natália.
Beijo.

PÈTALA disse...

Olá Natália!

Quando melro assim canta
Do nascer do rio até á foz
É porque tem boa garganta
Para se fazer ouvir sua voz!

Deixo-me prender e voar em teus versos, que mostram sempre seu reversos, mas sempre com a mais pura magia, que me transporta ao reino da utopia! Nunca páres de escrever para a alegria dos que gostam de te ler. Onde me incluo como é evidente e com muito gosto!

Tudo de bom

Beijos.


Manuel Pintor disse...

Fresca e liberta para os dias como as manhãs claras!
Assim seu canto, feliz e belo!

Beijos!

Natalia Nuno/Rosafogo disse...

Obrigada Manuel pela visita e leitura, sempre bom receber os amigos.

Um beijinho, tudo bom, aproveito para lhe desejar uma época natalícia com muito amor e paz.

Natalia Nuno/Rosafogo disse...

Olá amigo João
Já tinha saudades tuas, mas fico sempre esperançada que não me tenhas esquecido, és sempre aquele amigo que guardarei no coração, por toda a cordialidade existente entre nós de há tanto, e do muito carinho que ambos temos um pelo outro, assim desejo tudo bom para ti e agradeço mais esta tua agradável surpresa a tua vinda até à minha poesia.
Se por acaso não voltarmos a falar por agora, desejo que passes esta época natalícia cheinha de paz e amor...

Um beijinho querido amigo.