Seguidores

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

versos dum poema...



caíram-me as sílabas ao chão
neste outono de morte
um cheiro a frio,
vazio o coração,
na vida que já não existe
apenas o eco dum sonho baldio.

escuto à distância um silêncio
de luto
emudece a minha lembrança
lembrando o colo que me embalava
em criança
hoje tudo morreu, só se ouve o vento
a noite surgiu com côr de cadáver
trazendo a foice na mão
e deixando a vida sem alento
caíram-me as sílabas ao chão.

não sei exactamente o que sinto
sinto, que não regressarei ao calor
do teu olhar
nada mais sei, nada mais quero saber
a morte é difícil de enfrentar.

surge a primeira lágrima de resignação
hoje caíram-me as sílabas ao chão.

natalia nuno

a morte dum familiar é sempre difícil de se entender é dor que não se explica

Sem comentários: