Seguidores

segunda-feira, 15 de junho de 2015

plantando palavras...apenas



pequena prosa

a vida é clausura onde vão morrendo as recordações, vai estendendo a mão mas em breve reduzirá  a cinza aquela que aperta, vai plantando palavras na boca sem nexo ou a sua ausência, vai desnudando a memória, surge o silêncio e o vazio por detrás de cada dia,  até que o corpo é um vale árido olhando-se em ruínas...desperta a lágrima à beira do vazio, nos olhos onde o sonho ainda se revela... e de tanto sonhar caem no esquecimento de si mesmo...e o rosto fica sem vida, mas é ainda o rosto, desencadeia-se no pensamento uma névoa que vai apagando aos poucos a memória roubando-lhe o sol e só a impiedade floresce, tornando-a gaivota de silêncio como se o seu vôo azul terminasse,.. ave embriagada que tudo esqueceu e se harmonizou consigo própria e assim permanece na tranquila solidão dum sonho onde o nó não desata mais e nada pode alterar este destino.

natalia nuno
rosafogo

2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Quem palavras planta
E as trata sempre bem
No seu coração canta
O melhor que a vida tem.

Nunca descuides essa plantação, pois será sempre através dela que florescerás sempre cada vez mais.

Serei sempre um consumidor dessa plantação, e tudo farei para ajudar na sua rega tratamento e crescimento!

Quanto ao pé, depois da fisioterapia vai ficar como novo. Muita força, sempre!

Beijos

Natalia Canais Nuno disse...

Grata João

As palavras têm andado escondidas, difíceis, porque a disposição também não anda bem não tenho escrito pouco, e vou partilhando alguma coisa que tenho em arquivo e sempre vou deixando por não lhe achar grande valor... mas vens tu e animas-me a alma, eu te agradeço por isso, por estares sempre comigo na minha escrita, muitas vezes me lembro de ti e das tuas palavras encorajadoras e lá vou partilhando. Quanto ao pé já tirei os pontos mas não está fácil caminhar, veremos...grata pela força.
Desejo que tenhas um bom e feliz fim de semana...bjs da amiga

natalia nuno