Seguidores

quarta-feira, 23 de abril de 2014

palavras vestidas...



as palavras que tenho para dizer-te
hei-de vesti-las e embelezá-las
hei-de cantá-las
com verdadeiro amor
hei-de fazer crer-te
que o céu azula
e o sol tem mais calor
rimas hei-de criá-las com paixão
hei-de colocar joelhos no chão
prometer-te o nectar das delícias
gotejante em carícias...

e num poema de amor
numa tontura de prazer
hei-de dizer-te
palavras que valha a pena falar
de beleza vestidas, que hei-de
cantar...
e o verde dos meus olhos
deixar-se-à pelos teus enamorar
as mãos enlaçando, vivendo
e assim o corpo entardecendo.

natalia nuno
rosafogo



1 comentário:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Palavras vestidas de sedas transparentes onde a sua nudez é de tao belo encantamento!

Poema revestido de aromas muito especiais, e que só é possível graças ao talento de uma poetisa como a Natália!

Beijos

João

PS: Ainda em relação á tua
resposta no comentário anterior oferece-me dizer-te o seguinte: nunca te atrevas a acabar com tudo! Apenas deves moderar e fazer apenas aquilo que podes sem stressar. Se acabasses com tudo seria pior a emenda que o soneto. Já disse, e dir-te-ei sempre que for preciso que retirar-te a escrita (poesia) seria retirar-te o oxigénio que respiras! Dúvidas? Eu não tenho! Mas vamos pôr isso mais equilibrado, pode ser?

Quanto ao luso, embora tenhas razão, ainda vou pensar melhor!