Seguidores

quinta-feira, 4 de abril de 2013

ausência de rosas...



quando encurtam os dias
encurta o percurso por onde vou
passar
vai-se o brilho das minhas alegrias
e vem a saudade em mim germinar.
emigram os pássaros,
foi-se o esplendor dos dias...

nos olhos a cegueira
e a solidão por perto
e a memória é a primeira
a esvaziar-se no deserto

é a despedida do outono
há ausência de rosas
no meu coração a indiferença
o abandono
só a persistência com que bate
faz sentir-me ainda a florescer
não há saudade que mate
esta sede que me dobra
este tropeçar no inverno
esta tortura que sobra
e se transforma em inferno.

meus olhos ficam à espreita
passa-me a saudade ao lado
o outono já se deita...
esfriou meu tempo
tempo esgotado.

natalia nuno
rosafogo
imag.net

1 comentário:

manuel marques Arroz disse...

Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti...

Beijo.