Seguidores

sábado, 5 de janeiro de 2013

saudades dum tempo




































tiro a poeira do tempo
e faço acontecer
momentos de amor.
tiro as teias às horas
e vou meus sonhos tecer,
e na paz que sobrar
farei o amor crescer.
numa labareda de frescor,
e não haverá muito, nem pouco,
nem nada...
nem solidão em mim
espalhada!

só saudade, saudade passada,
sem cura...
e um suspiro lembrando
a ternura...
o sangue a ferver
o coração a bater
e a morte por haver,
palavras que já não ouso dizer.

mas quando te encontrar,
voltará a esperança como herança
aquela que andou sem dono
ao abandono...
deixar-me-ei de amor saciar,
haverá reconciliação
e festa no coração.
haverá um tempo de verdade
tudo ficará no lugar
um sonho feito só saudade
e Deus em nós a habitar.

pronúncio dum tempo de paz
saudade molhada de saudade
tempo que invento e me satisfaz
tempo de claridade...
no poente,
sentirei liberdade
com coragem seguirei
caminho inteiro
e Deus será meu conselheiro.

natalia nuno
rosafogo
imag. net







Sem comentários: