Seguidores

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

afectos contidos



Os afectos que não se dão
São como ciclone contido
nasceram para a solidão
num deserto sem sentido

afectos que não se soltaram
como nasceram, morreram
sementes não fecundaram
do doce mel não beberam.

afectos que cedo murcharam
recolheram à obscuridade
os corações não vibraram...

vidas sem nada para oferecer
sem amor, ternura ou amizade
estrelas nascidas para morrer.

natalia nuno
rosafogo
imag-net
soneto de 2001/5

Pelo contrário a imagem é bem uma fonte de afectos generosos,
que fazem com que a vida seja água que corre transparente e doce.

2 comentários:

manuel marques Arroz disse...

Lindo poema.

"A prova de um afecto puro é uma lágrima."

Beijo.

Natalia Nuno disse...

Olá Manuel às vezes basta um sorriso, um olá para que o dia seja mais risonho.

Beijo e obrigada pelo visita.
Boas Festas.