Seguidores

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

bem estar me leva ao orgasmo




quando escrevo, há sonhos
que se concretizam,
desejos que se amenizam
e minha esperança é a janela
de onde avisto a saudade passada
e futura
é o tudo e o nada
e as palavras recaem sobre ela
com formas de ternura
e a voz duma vida inteira

quando escrevo dói-me a alma
e ao fim duma tarde de canseira
volto atrás, procuro no entardecer
a calma
faço-me gaivota de novo em vôo
ah...se pudesse voltar além!
se pudesse ir mais aquém!
da criatura que fui e sou...
mas é tarde e a escuridão
apaga em mim os passos
abafa o soluço vindo do coração
tolhe-me as mãos e os braços.

quando escrevo há segredos
nos meus dedos
iniciam a escrever em liberdade
letras de fogo de fé e saudade
tombam porém em chuvas de loucura
escrevem e dançam
uma dança de amargura
a tudo alheios
à hora, ao instante, menos às lembranças
que estão presentes em abastança
agora e sempre plenas de esperança

quando escrevo sou como a rosa rubra
que exala o odor
aguardo a palavra que espero
livre
autêntica, que vibre
com paixão e amor...

quando escrevo o passado
surge iluminado
e o céu, o meu céu aqui...
mesmo ao lado
e ainda que me perca no futuro
e veja tudo em mim escuro
não me amarguro
porque me sinto maior
que o tamanho dum sonho

quando escrevo há um mundo
de felicidade
um bem estar leva ao orgasmo,
me põe um brilho no olhar,
um sabor doce na boca
logo tristeza é coisa pouca!
e as lembranças são viagem
no labirinto do meu pensamento
num vai vem surgem agora,
pra logo irem embora,
na aurora me vou lavar
estendo o meu lençol de luar
e escrevo até cansar...

breve tomarei o meu rumo
para lá da curva obscura
onde da vida me sumo,
porque um dia há-de ser!
chegará a desventura
num louco entardecer...


rosafogo
natalia nuno
















Sem comentários: