Seguidores

sexta-feira, 22 de junho de 2012

A VIAGEM





















Acende-se uma esperança em mim
Amo a vida sinto-me imortal
Olho as flores tão frescas e por fim
até o vento me canta
A beleza do voo do rouxinol
me encanta.
Hoje a perfeição da vida é tal
Que a ideia da morte é remota!
Esqueço qualquer sonho sombrio
As árvores estremecem
e a vida em mim brota.

Sigo com o olhar o navio
as gaivotas e o azul do mar
Neste morno entardecer
Lanço os anos ao esquecimento
sem um lamento
Surda e indiferente, magoadas
horas vou esquecer.
E os instantes de júbilo ou pesar
Deito-os ao leito tranquilo do mar.

E me entrego ao sonho em liberdade
Tal como em criança de quem trago
saudade.
O último raio de sol me cobre de felicidade.
Deixo que deslizem as horas
Nas emaranhadas ideias
Enquanto pulsante segue o sangue
em minhas veias.

natalia nuno
rosafogo
imagem da net

1 comentário:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Acorrei aves do céu
Ouvir cantos do povo
O velho e escuro breu
Deu lugar a sol novo!

Tudo em nós é uma viagem
Com os solavancos da vida
Depende muito da carruagem
E dos apeadeiros nela contida!

Esta carruagem é de primeira
Lançou fantasmas ao vento
Só falta solidificar a maneira
Que por lá se percam no tempo!

Mas com a ajuda do rouxinol
Com suas eternas melodias
Farão esquecer todo um rol
Dum mar de melancolias!

É preciso aquecer a alma
Não deixar instalar a dor
Basta só manter a calma
O resto completa o amor!

Beijo