Seguidores

sexta-feira, 22 de julho de 2011

LINHAS DE AMOR



Seguem estas linhas de amor
Num tímido vôo
Fustiga-me o esquecimento e a dor
A pontos de não saber quem sou!
Rompe dos meus olhos a água
Se apaga meu sonho, feito vulcão
Só me resta a mágoa
Vou sustentando a ilusão.

Do futuro ouço a fragilidade
Que põe silêncio entre a gente!
Do passado trago saudade
Que  à vida me prende no presente.

Se a vida se extinguisse
Tudo perderia num instante
É como se amor desistisse
Do nosso viver, vibrante.
Já não sou do tempo prisioneira
Cansei deste frenesim
Deixo assentar do tempo a poeira
Ofereço-te meu corpo, como jardim.
Onde colherás à mão cheia
Lembranças da serena felicidade
Que o teu corpo ainda premeia.

Em marés de saudade!

rosafogo
natalia nuno

1 comentário:

manuel marques disse...

Lindo...Lindo...Lindo...

Beijo.