Seguidores

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

DESCONFORTO













DESCONFORTO


Bastaria um gesto um só!

Ah...mas isto são detalhes apenas
Sou eu a julgar-te!?
Às vezes de mim tenho dó,
E a minhas penas?
Frestas que no meu coração deixáste.

Acontecimentos estão esquecidos
Como quem crê e ama!?
Trago ainda meus versos nos ouvidos
Centelhas da minha chama.
Hoje sinto-me um espantalho
Mas os espantalhos não choram
Valho o que valho!?
Sou brecha nos sonhos que demoram.

Desatou-se este nó
E meu coração gemeu-te, e foi tudo.
Bastaria um gesto só!
Uma palavra mentida, um olhar mudo,
Um desperdício que caíria no esquecimento
Mas não, fiquei estrela sem dono
Ao mesmo tempo num doce amargo pensamento
Espalhando minhas sementes ao abandono
Como um baloiçar magoado, do sol ao vento.

Fico silenciosa de sinais
Com a esperança p'lo chão
Que me importam os demais?
É para ti minha mensagem de desilusão.



rosafogo
natalia nuno

Sem comentários: