Seguidores

sábado, 3 de julho de 2010

TRAGO UM RIO DENTRO DE MIM


















TRAGO UM RIO DENTRO DE MIM


Trago um rio dentro de mim
Vem de longe, faz tempo este rio
Trago um sonho danado sem fim
E vou recordando para esquecer o vazio.

Trago um rio dentro de mim
E o caudal é a saudade
Brota nos meus olhos sem fim
E é sonho entrelaçado com a realidade.

Trago as mãos cheias de nada
E meu coração palpitante
Desfolho palavras desinteressada
Que são pégadas numa areia distante.
Trago a vida transmudada,
De alegrias em tristezas...poesia fora de moda
Assim sigo ignorada, desta terra despegada
Perdida num vento que me tráz à roda.

Poesia amarga a minha, mas sentida
Com o perfume campestre, selvagem,
que é meu predilecto, cheiro de rosa atrevida
espalhado pela aragem.
Desenterro recordações, nevoentas
Que são de todo o tempo por mim achadas
Junto as pontas da vida, já poeirentas
E escrevo, escrevo, sobre pequenos nadas.


natalia nuno
rosafogo

5 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida
Muito belo poema...pequenos nadas que fazem a nossa vida.

Beijinhos
Sonhadora

Versi D'Amori disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Versi D'Amori disse...

Natália,

Vim aqui ler mais de suas maravilhas, que me falam direto à alma, e convidá-la a conhecer meu Blog italiano, que fiz em homenagem as minhas origens, onde postei mais um lindo poema seu...se me permite.

Um grande beijo e ótimo Domingo!!!

Reggina Moon

www.versidamori.blogspot.com

PARTICIPE:
http://umafrestapoetica.ning.com

FlorAlpina disse...

Olá Natália,
"Trago um rio dentro de mim
E o caudal é a saudade
Brota nos meus olhos sem fim
E é sonho entrelaçado com a realidade."

Como sinto também esse rio...

Bjs dos Alpes com votos de bom domingo

Gracita disse...

Olá Natália,
Vim me deliciar com a leitura dos teus poemas. São magníficos. É sempre um prazer estar aqui.
Tenha uma linda semana.
Abraços afetuosos
Gracita