Seguidores

segunda-feira, 14 de junho de 2010



















BAILAM-ME AS PALAVRAS

Bailam-me palavras na mente
Bailam como que embriagadas
São como água que corre contente
Fluída e fresca nas madrugadas.

E assim, por aí as vou deixando
Sigo confiante!
A tristeza elas me vão quebrando
À felicidade de tê-las, nada é semelhante.
Minhas palavras não têm fronteiras
São torrente de rio caudaloso
São meu grito, minhas companheiras
Tristes, ou alegres do meu eu saudoso.
Não calam a emoção
Deste meu pensamento livre
Nas asas trazem a ilusão
Da andorinha que em mim vive.

Minhas palavras saem em procissão
Vêm em andores de alegria ou tristeza
Palavras que me dão a mão
Têm aroma de rosmaninho, dele a beleza
Rezo-as na ermida
São labaredas da candeia acesa
Da infância perdida.

Saem do coração delirantes
Diamantes por lapidar
Às vezes gritantes
Com desejo de rimar

Trazem a raiva
O amor,a força e a serenidade
Não querem que ninguém saiba
Que estou morrendo de saudade.


natalia nuno
rosafogo

4 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida
Que belo poema.
As palavras são nosso sentimento, nossa alma.

beijinhos
Sonhadora

Natalia Nuno disse...

Fico feliz por o teres achado belo, confesso que também me agrada, está escrito, faz algum tempo,
mas é um dos meus que mais gosto.

beijinho amiga
natalia

Amor feito Poesia disse...

Eu quem lhe agradeço por estar aki querida.

As Vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa... e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!

Bob Marley

Feliz Noite e beijos meus! M@ria

Natalia Nuno disse...

É um prazer receber palavras tuas.
Minha poesia é melancólica escrevo-a com a sensibilidade que me vai na alma, simples
mas escrita com muito amor.

Fica bem e feliz
Deixo meu beijo de agradecimento

natalia