Seguidores

quarta-feira, 26 de maio de 2010

















SAUDADE




Lembro-te entre loureiro e rosas
Olho o Sol que ao longe se escusa
Falo-te amigo das coisas saudosas
Penso-as na fonte enchendo a enfusa.

E com a fronte a escorrer àgua
Nos fios do coração presa a amizade
Não deixo de te contar minha mágoa
Por estares longe e eu ter saudade.

Deixa que se solte este meu grito
Cante meu coração onde a alegria mora
Aí à distância não te quero aflito
Que a saudade a gente mata na hora.

Na nossa aldeia floresce a amendoeira
E as giestas de amarelo floriram
E quer o tempo queira ou não queira
Lembraremos todos aqueles que partiram.

Dentro de nós o coração a pulsar
Às vezes é a dor que nele chora
Mas nada, nem ninguém pode atrasar
A hora de matar saudade que em nós mora.

E ainda que haja pó pelo caminho
Chegaremos lá bem pela tardinha
Abraçaremos os amigos com carinho
Já atravesso a ponte, pressa a minha.

natalia nuno
rosafogo

5 comentários:

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

Não conhecia o blog.

Felicidades para si

e para ele!

saudações poéticas

Haere Mai disse...

Ola rosa! amiga desconhencia que tinhas este belo espaço! Que bom ter-te encontrado. Tenho um fundo maravilhoso para o teu espacinho. Mando-te o link se estiveres interessada.

Quanto ao teu poema traduz o reconhecimento de momentos guardados na memoria para a eternidade.

Beijo

Haere Mai disse...

http://1.bp.blogspot.com/_c_fDbnFhOfA/SjOgDkkltaI/AAAAAAAAI6I/MfrM2Hj_U48/s1600-h/002.jpg

Com um beijo sempre azul

Natalia Nuno disse...

Amigo Poeta

Obrigado, pelas palavras amigas.
Não agradeci há mais tempo por andar em viagem.

Abraço de amizade
natalia

Natalia Nuno disse...

Oi linda Haere Mai, gostei de te encontrar,
vim hoje de Itália, e tive belas surpresas por aqui, já encontrei vários amigos e entretanto ganhei outros novos que também me dá muito prazer encontrar.
Agradeço o teu carinho teres deixado o link
amanhã com mais tempo vou tentar colocar.

beijinho
natalia