Seguidores

quarta-feira, 26 de maio de 2010

PERDI AS HORAS














PERDI AS HORAS


Hoje sinto-me um peixe fora d'àgua
Longe está o que para trás deixei
Deito um pé ao passado e com mágoa
Choro as papoilas com que brinquei.

Tão quase nada, tanta singeleza
Às portas do meu olhar, meu chão
Tudo igual...um rastro de pobreza,
No Céu habita a mesma constelação.

Vejo voar minhas primaveras, anoitece!?
Já são horas, ao longe ficou o meu berço
Embaciou o caminho, nem sei se amanhece

Ponho um pé no presente, faço-me à estrada
Levo na mão os sonhos de menina e o terço
E sigo meu caminho sem luz, desencantada.

natalia nuno
rosafogo

4 comentários:

FlorAlpina disse...

Olá Natália,
Amanheceu, ainda vai alto o sol!

Bjs dos Alpes

(Muito obrigado pelas palavras carinhosas que deixa sempre no meu cantinho!)

Sonhadora disse...

Minha querida
Lindo momento de poesia, adorei.


Vejo voar minhas primaveras, anoitece!?
Já são horas, ao longe ficou o meu berço
Embaciou o caminho, nem sei se amanhece

Como entendo do que fala.

beijinhos
Sonhadora

Natalia Nuno disse...

Obrigada Florzinha, é um mimo receber palavras tuas.
beijinho

Natalia Nuno disse...

De ti Sonhadora também é um prazer e me sinto orgulhosa, de receber teu elogio.
Também adorei ler-te.

beijinho