Seguidores

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

marcas de nostalgia...




Esta noite permanece surda
só o silêncio se faz ouvir,
e esta Saudade que não muda
que dispara e incendeia e escreve
o que só eu sinto,
que serve para tudo e para nada,
com letras mágicas, da minha fonte
apaziguada...
Saudade que traz marcas vestidas de nostalgia
um olhar  altivo de desdém
o riso e a lágrima solitária
e os sonhos que em maioria
se agigantam, e vão mais além,
e a vida me desafia...
Doce e amarga, cruel paradoxo
traz-me recordações em turbilhão
fecho os olhos. deixo o coração
pulsar, vagabunda fico à deriva
nesta Saudade audaz, que espelha meu céu
e me satisfaz...
Nesta noite, lamenta-se o verão fugaz
estremece a minha mão e o meu sorriso
só uma árvore se agita, nesta quietude
enquanto a minha vida inteira se consumiu
perdendo-se na bruma...

Desce a noite imensa
e eu não preciso mais de coisa alguma
a não ser desta sede que me rodeia
este inferno ou paraíso, esta Saudade que é teia
centrada no coração e que volta e meia
me sobe ao pensamento num voo em chamas

É então quando tu POESIA me chamas.

natalia nuno
rosafogo



2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

há dias e noites assim.
mas existe sempre a poesia para nos dar um alento.
um beijo

:)

Natalia Nuno disse...

Verdade amiga, a poesia por companhia é óptima.

Bom fim de semana
bjinho