Seguidores

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Crédula esperança....



estou dos versos esquecida
me anima uma crédula esperança
que o que me resta de vida
é esta saudade nua e crua
que de lembrar não me cansa.
e este ânimo constante
que me vem ao semblante
que sempre assim em mim esteja.
quero que todo o mundo veja
que aos versos não ando atada
mas anda louco o pensamento
e a alma arrebatada...

a morrer sentenciada
anda a minha poesia
no silêncio e esquecimento...
se pudesse a pouparia.

já fui moça...moça ardente
já fiz versos de repente

estou dos versos esquecida
eles que foram meus amantes
deram golpes ficou a ferida
já nada é como dantes...
versos que eram raridade
onde conservava a saudade
hoje resta a aparência
nada tinham de ciência
quem sabe...a eternidade!

não deixo que nada me entristeça
a vida é cruel ameaça
só a lembrança me estremeça
para esquecer qualquer desgraça
e se a vida me consente
caminhar sem receio
a minha metade igualmente!?
então:
farei da caminhada passeio.

natalia nuno
rosafogo
im.net

4 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Mergulhei fundo neste teu poema não deixando nada por explorar. Os tesouros nele encontrado são extremamente valiosos. Os ventos fortes saídos das profundezas das entranhas trazem acoplados ondas vigorosas onde a esperança se enlaça com a vida! As asas da tua poesia levam-nos sempre a viajar para lá do tempo e do sonho. E que sonho!

Beijo

João

Natalia Nuno disse...

Que bom encontrar-te estou aqui na aldeia quase isolada do mundo e com pouca vontade de andar por aqui, ou de ver TV, e assim, tenho aproveitado para ler, o que já não fazia à muito.
também escrevi umas coisinhas, um pouquito mais virada para as trovas, algumas eu acho razoáveis, outras parecem de criança da primária, fazer o quê Gedeão só ele mesmo.
E depois deste desabafo, deixo um abraço com desejo de que tenhas uma boa semana e agradeco também as palavras que sempre me animam.

bem hajas
bjinho.

PÈTALA disse...

Olá Natália

Todos os lugares são bons desde que isso nos traga algum valor acrescentado. Isto é, quando sairmos desses lugares virmos contentes connosco próprios, de alma cheia! E tudo aquilo que nos preenche as horas deverá estar em consonância com aquilo que pretendemos ao escolher tais lugares! Fazer as escolhas dos livros, dos roteiros dos passeios (mesmo a pé) dos entretinimentos na tv etc. só a escrita é que pode e deve andar em roda livre e sempre ao sabor do momento, ou momentos!

Quando a questões de vontade, devemos contrariar o nosso próprio corpo quando ele nos quer empurrar para o imobilismo seja de que espécie for! Nestes casos devemos dar-lhe luta sem quartel! Reunir toda a força mental para essas duras batalhas! Mas se soubermos e formos capazes de reunir essas forças, a nossa vida terá sempre pernas para andar! E para fazermos tudo aquilo que nos der prazer e gozo! Quando realmente queremos operamos autênticos milagres em nossas vidas! Porque o milagre não é mais do que a força do nosso próprio crer! Nunca por nunca vires a cara á luta (ainda que por vezes pareça aparentemente perdida) mas na realidade nunca está! Tudo isto é possível e está ao nosso alcance, ou eu não soubesse daquilo que estou a falar…

Aproveita e usufrui de todos os “pequenos nadas”, mas que muitas vezes fazem toda a diferença.

Beijo

João

Valderez de Barros disse...

É, amiga, o tempo passa, a idade vem com ele, e os sonhos, a poesia, vão querendo nos deixar, mas, teus versos mostram que a chama poética que germina, doce e pura, de tua alma, está bem acesa.Parabéns!!!
Aquele tal de Lagrima D'Sol está perturbando muita gente.Obrigada pelo aviso!!!
Um carinhoso abraço!!!