Seguidores

sexta-feira, 1 de junho de 2012

EM ERMA LIBERDADE



Olho as pequenas margaridas
Que no campo vão sonhando
Olho as serras despidas
Hirtas árvores negrejando.
Bendita ilusão, sonho demais!
Enquanto a noite chega
aos escuros azinhais.

Sinto que a vida se desfaz
Mas vai  pulsando o coração
Vou negando a morte até ser capaz
Ainda que os dias ardam em solidão,
silêncio e desolação.
Olho os cardos à minha volta
Ali mais...
As pégadas de animais.
E o vento sopra, ouve-se vibrar
P'la calada da noite o choro da viúva
que o homem foi amortalhar.

Entro então num labirinto
Com precaução procuro saída
É na noite que eu me sinto
De alma amadurecida.

rosafogo
natalia nuno
imagem da net


1 comentário:

PÈTALA disse...

Olá Natália.

Palavras talhadas a fogo
Em campos beijando flores
Trazendo á mistura o denodo
Dos belos cantos de amores.

Nesta contida liberdade
Cantada com a voz serena
São Espartilhos de saudade
De tempos que deixam pena

Planta que tem boas raízes
E foi sempre bem regada
Pode apresentar cicatrizes
Mas mostra que é amada!

Beijo