Seguidores

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

COMPANHEIROS DE INFANCIA













COMPANHEIROS DE INFANCIA

Companheiros de Infância
Pobreza, tão comum no nosso passado
Pobres, tínhamos tudo: as ruas e o adro!
Tudo era nosso, o sol, a chuva, o vento
Em demasia a pobreza e o céu estrelado.
Só a brincadeira no pensamento.

Dormimos em colchão de palha
De folhas escamizadas de milho
Brincámos ao pião...à malha!
Descalços, ou com sapatos sem atilho.

Comemos o pão que o Diabo amassou!
Pedimos porta a porta pão por Deus!
Pouca era a roupa, o frio nos assaltou
E bem ligeiros corrias Tu... corria...EU.

Crianças de piolho sempre a aparecer
De ranho no nariz sem importar
Contentes de poder saltar, correr
Na esperança do joelho vir a sarar.
Afectos, também nisso a pobreza?!
Só nos restava a inocência e a destreza
Na rua, uns com os outros brincávamos
E à noitinha, pirilampos apanhávamos.

A pobreza era nossa desconhecida
Na boca, sempre um sorriso, uma cantiga.
Desafiámos o Destino com algum desembaraço
Hoje somos meninos apertados, no mesmo abraço.

natalia nuno
rosafogo

2 comentários:

Runa disse...

"Pobres, tínhamos tudo: as ruas e o adro!
Tudo era nosso, o sol, a chuva, o vento"

Bonita descrição da infância, parca de bens materiais, mas muito saudosa.

Grande beijo

Runa
http://seguindooescoardotempo.blogspot.com/

Natalia Nuno disse...

É verdade amigo, mas éramos grandes nos sonhos,
e fomos vencendo e superando muitas contrariedades, para que o nosso futuro fosse um pouco melhor que o dos nossos pais.

Beijo para ti Runa, foi uma surpresa boa tua visita.