Seguidores

domingo, 15 de fevereiro de 2015

bailam os pensamentos...



o relógio sempre bate as horas
sejam elas
de felicidade ou de desgraça,
por onde andará o sol na imensidão
do céu,
agora que a noite cai?
bate o coração com indiferença
nem se ouve um ai...
o relógio e eu,
e as horas a cair...
chora meu olhar mudo
voltar atrás?
fundas saudades de tudo!
podem até estranhar
mas não há como voltar.

avisto já a lua
aqui da minha janela,
não é outra, é aquela
que lembro se é que a memória
não  perdi
quando me entreguei a ti.
e o relógio continua  a bater
o tempo me asfixia,
passa a doer,
hora a hora, dia após dia.

os beijos que te dei
ainda me põem a cismar,
já não lembro, já não sei
se foi de noite ao luar.
foram por acaso...talvez!
ou quando chegava a vontade!?
se eu gostava? pois assim crês?
é verdade sim, me dá até saudade!
Saudade dessas horas,
em que o relógio parava,
quando o desejo em nós despertava.

rosafogo
natalia nuno



4 comentários:

Gracita disse...

Quando estamos envolvidos num idílio amoroso até os relógios silenciam cúmplices daquele amor
Um ótimo domingo Natália
Beijos

Natalia Nuno disse...

Verdade Gracita! Como é bom recordarmos, fico grata amiga pela visita.Beijinho

PÈTALA disse...


Olá Natália

Mais um bailar de pensamento digno de realce! Todas as boas saudades são formas de nos continuarem a dar vida. Nunca deixes de partilhar as tuas saudades, seja em prosa, seja em versos. E nunca deixes que ninguém se atreva a cortar-te a raiz ao pensamento!

É sempre um gosto muito grande ler teus poemas e saber que estás bem.

Beijos

João


Natalia Canais Nuno disse...

Querido amigo

Se soubesses como me fazem bem as tuas palavras, muito mais quando sem contar as encontro, fico tão feliz, como se renovada com vontade de continuar, fico muito grata João.

Beijinho amigo é meu desejo que também tu estejas bem.