Seguidores

quarta-feira, 24 de abril de 2013

O Poeta está aqui!


o tempo leva meu rosto
rompe-me o coração na passagem
faz de mim  sombra
nesta viagem
abra-se a ferida
nesta casa abatida.

ficam os alicerces
feitos de raízes afeiçoadas
que já mal recordo,
com palavras magoadas
me deito e acordo.
voltam meus olhos ao passado
a querer resistir ao tempo
a querer reagir à crueza
até à exaustão
e o tempo a dizer-lhes ...Não!
agride-me violento
e me rasga o sono
ah...temo o esquecimento!
já me dói o que de mim perdi,
exausta sobrevivi...
resta o Poeta!
O Poeta está aqui.



3 comentários:

PÈTALA disse...

pOlá Natália

O poeta está aqui e estará
As musas muito têm a dar
Nas entranhas nada parará
Cujo coração só sabe amar

Teus poemas viajam no tempo, como que não tenham fim. A poesia é isso mesmo ficar no nosso tempo, e para além dele!
Beijo
João

Natalia Nuno disse...

Olá meu amigo João
Não sei até quando, vou ter esta facilidade em escrever regularmente, a vida está sempre em mudança e eu sempre tive receio do dia seguinte, mas enquanto der vou deixando as palavras saírem, mas para além de mim será que resistirão ao tempo?

Gostava que assim fosse...
Grata mais uma vez pelas tuas palavras

Beijinho, tudo bom

PÈTALA disse...

Olá Natália
Que receios são esses, minha amiga? A vida é feita de constantes mudanças. Neste contexto que é que te apoquenta? Só partilhas se quiseres como é óbvio. Mas sabes que tens aqui um amigo para te escutar, e se preciso for, ajudar através das palavras. E já deves ter reparado que as minhas podem ser de alguma valia!
Beijo
João