Seguidores

quarta-feira, 25 de março de 2015

dou asas ao meu voo...



arde em mim um fogo alto
ora de paixão, ora de desassossego
a esta força me apego
força que cresce faz-me sonhar
dá asas ao meu voo
talvez venha do passado
ou do futuro pra onde vou.
há um aroma que recordo
daquilo que já perdi
fragrância forte
sempre que rio, ou me lembra
a morte...os que se foram.

desprezo a lágrima que
vem das minhas nostalgias
nas noites, nos dias
de incerteza
numa confusa dualidade
entre o sonho e a realidade
vivo, com o coração fechado
entre sorrisos e esquecimentos
entre velhice e a juventude
o pensamento sobressaltado
tão amiúde...

invento esperanças, numa aventura
excessiva, quero-me viva
sem o fastio de viver por viver
sem ser pedra que se afunda
viver até o fogo deste meu coração
perecer...

natália nuno
rosafogo

2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Natália

Essas asas com que voas serão sempre o fruto da tua liberdade. Quem assim voa nunca terá receio do que quer que seja! Porque a vida é em si mesma um voo! E durante esse voo devemos aproveitar de tirar dela (vida) tudo o que de bom ela tem. E é muito!

Tudo de bom para ti e os teus

Beijos

João

Gracita disse...

Olá Natália
Por ora tristeza e desengano mas nunca em tempo algum feche o coração
A separação é sempre triste mas que floresça no coração a esperança do reencontro. Tristes palavras mas exuberante lirismo
Beijos com meu especial carinho e amizade,
Gracita