Seguidores

terça-feira, 16 de novembro de 2010

HÁ QUE GANHAR E PERDER













Há que ganhar e perder...

Meu coração bate como se milagre se desse
E se eu voltasse ao dia da partida?!
E se voltasse atrás completamente?!
Ao vento selvagem que no rosto me batesse?!
Rever tudo o que ficou no coração silencioso.
A praça, o fontanário, o casario,
O rio, só ele murmurava, ele sómente!
É como estar em vésperas duma alegria desconhecida.
E tudo o resto se apagar da mente.

Esta ideia que me faz viver e palpitar
Num desejo de irreprimível felicidade
Ah, como fico ensurdecida pelo bater do coração
Fica-me um sorriso na cara, há uma razão!
Hoje só os meus pensamentos falam
Numa ansia louca de libertação
Não querem perder o fio à meada!

Deixar-me tranquilamente envelhecer? Nunca!
Ficar completamente grisalha? Nunca!
São momentos de loucura, não tentem entender.
Ficar com o olhar triste, a palavra em fallha?!
Bastam os anos perdidos!
As mãos que já não conheço!
Chega de sinais do tempo que me despedaçam
Quero de volta todos os sentidos!
O esquecimento? Não obrigada.
Deixem-me tranquila nesta minha maneira de ser
Deixem-me a sós com a poesia amada.
Logo se vê na luta tudo pode acontecer
Há que ganhar e perder...
Por agora quero apenas sonhar, viver.

natalia nuno
rosafogo

2 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Li-te no teu profundo neste poema, como eu quero também viver.

Ficar com o olhar triste, a palavra em fallha?!
Bastam os anos perdidos!
As mãos que já não conheço!
Chega de sinais do tempo que me despedaçam
Quero de volta todos os sentidos!
O esquecimento? Não obrigada.

Adorei como sempre.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Natalia Nuno disse...

Às vezes amiga, estou falha de coragem e de vontade, mas outras consigo ultrapassar tudo e
ver de novo tudo colorido.

Beijinho, obrigada pela tua presença.

natalia